pt Portuguese

Blog Solution

8 ferramentas e métodos de gestão de estoque para a sua empresa

- 4 min leitura

O estoque é uma das partes mais importantes de uma empresa. Sendo o lugar onde todos os produtos fornecidos estão organizados, é preciso ter um controle maior sobre o que acontece lá dentro.

É nesse momento que entra a gestão de estoque, importante para a otimização de resultados na rotina de uma empresa. Neste contexto, a maximização dos lucros é apenas uma consequência da boa administração do estoque da empresa!

Mas, você sabia que existem ferramentas e métodos que podem ajudar a sua empresa na gestão do estoque? Hoje nós separamos as 8 ferramentas e métodos principais para te ajudar nesse processo de organização, venha conferir!

Enterprise Resource Planning (ERP)

Do inglês, planejamento de recursos empresariais, não é a toa que o ERP está em primeiro lugar em nossa lista de ferramentas úteis! Mais do que uma forma de gestão de estoque, o ERP é fundamental para qualquer empresa que deseja otimizar processos e aumentar vendas.

Apesar de alguns gestores ainda desconhecerem do que se trata, a tecnologia possui diversas funcionalidades imprescindíveis para garantir que a empresa permaneça à frente dos concorrentes, com bons resultados gerados através de decisões assertivas.

Tudo isso só é possível devido às informações valiosas que são geradas pelo sistema. Transformando dados e números em conhecimento, ele auxilia o gestor a tomar decisões de forma mais consciente a respeito de todos os setores da empresa.

Assim, não poderia ser diferente quanto à gestão do estoque. Esse tipo de sistema de software para gestão empresarial reúne soluções especializadas e específicas para cada empresa e para cada setor dela.

É por isso que ter a gestão de estoque por um ERP torna os processos operacionais e administrativos muito mais rápidos, além da alta eficácia. Com ele é possível, inclusive, fazer uma análise da movimentação das mercadorias, das vendas e seus picos e também dos prazos para entrega.

Supplier Relationship Management (SRM)

O SRM se trata de uma estratégia para melhorar o relacionamento entre a empresa e as organizações responsáveis por fornecer a sua matéria-prima. Nesse caso, é importante ter um sistema automatizado para o controle do estoque.

A relação está diretamente ligada ao estoque da empresa e, para que a empresa aprimore a eficiência dos processos, pode usar um software. O objetivo principal é gerar um quadro de referência que torne a comunicação mais eficiente com esses fornecedores.

Esse é um método que pode, e deve, ser utilizado de forma combinada, pois sozinho ele não consegue atender todas as necessidades de administração do estoque de uma empresa.

Primeiro a Entrar, Primeiro a Sair (PEPS)

O PEPS tem origem no termo em inglês FIFO (First in, first out), para elencar uma certa hierarquia dentro do estoque. O raciocínio é de que os produtos que entram primeiro no estoque, devem sair antes das mais recentes.

De forma simples, este método é eficiente para evitar perdas, porque faz com que o giro de estoque seja feito suprindo custos de aquisição e garantindo uma probabilidade maior de lucro.

O PEPS funciona perfeitamente para qualquer tipo de empresa, afinal, o principal objetivo de todas as empresas é conseguir comercializar suas mercadorias, garantindo sempre a melhor margem de lucro.

Último a Entrar, Primeiro a Sair (UEPS)

Invertendo completamente a lógica do PEPS que acabamos de ver, o UEPS diz que o último a entrar é o primeiro a sair. Do inglês LIFO (Last In, First out), o modelo de gestão de estoque tende a priorizar os últimos produtos a entrarem na empresa durante um processo de venda.

Para calcular o preço de venda de um produto seguindo o UEPS, ele será baseado no valor do último lote adquirido de fornecedores. Em outras palavras, o valor repassado ao consumidor será estipulado na referência de pagamento efetuado pela empresa.

Mas, não é apenas o cálculo de valores que é levado em conta. O UEPS pressupõem que a própria mercadoria siga a hierarquia da mais recente para a mais antiga. Neste contexto, empresas que trabalham com alimentos perecíveis, por exemplo, não podem incorporar o método.

Just in time

Traduzindo para o português, que significa “no momento exato”, este método tem o objetivo de manter os níveis mínimos de estoque, tendo apenas o suficiente para atender às demandas dentro de um curto prazo.

Assim, os materiais chegam no momento em que serão usados, evitando, principalmente, o acúmulo. Ou seja, a metodologia é utilizada para evitar que o estoque permaneça parado por muito tempo, o que pode causar prejuízos que variam de acordo com a depreciação do produto, entre outros fatores.

Apesar de parecer ser um método fácil, ele vai exigir do gestor muita organização, pois qualquer cálculo mal feito em relação ao fluxo de estoque pode levar a atrasos na entrega de produtos, trazendo mais dor de cabeça.

Supply Chain Management (SCM)

Do inglês, gestão de cadeia de suprimentos é o sistema que permite que o produto comercializado pela empresa seja disponibilizado pelo fornecedor para então chegar até o consumidor.

Dessa forma, pode ser entendido como um processo estratégico voltado a fluxos de bens, serviços e tudo aquilo que for relevante para manter a relação entre as empresas, principalmente considerando o estoque da empresa.

O objetivo é organizar e otimizar esses fluxos e reduzir custos ao longo do processo, tendo menos desperdícios e atrasos. O resultado é a garantia da satisfação do cliente e de um bom posicionamento da empresa no mercado.

Warehouse Management System (WMS)

O sistema de gerenciamento de armazém, em tradução para o português, é um sistema de logística muito conhecido e aplicado nas empresas. É através do WMS que é possível gerenciar processos internos do armazém.

Assim, todos os processos podem ser monitorados pelo gestor, desde entrada, inventário, organização, preparação de pedidos, até a saída com destino ao consumidor. Geralmente ele atua em conjunto com um software ERP, trazendo ainda mais vantagens para a empresa.

Kanban

O Kanban é um sistema de gestão visual. Para ser usado, primeiro deve ser estabelecido algo como um código de cores em forma de cartões, os quais são atribuídos a produtos ou processos, variando conforme a necessidade da empresa.

Cada cor representa o status de uma tarefa: aguardando início, em andamento, com pendência e concluída. Com essa organização, o sistema não serve exclusivamente para a administração do estoque, mas sim para otimizar e facilitar todos os setores do negócio.

A gestão de estoque pode parecer difícil, principalmente para empresas que estão começando a expandir, mas com essas dicas todo o processo pode ficar mais fácil e organizado, desde a sua relação com os fornecedores, até a hierarquia de entrega.
Você também pode conferir mais sobre como uma boa gestão de estoque pode aumentar as suas vendas.

E você, conhecia algum dos métodos e ferramentas que citamos? Já implementou algum deles na sua empresa?

Deixe um comentario