pt Portuguese

Blog Solution

Cultura do Trabalho Híbrido: Como se adequar a este modelo

- 5 min leitura

O modelo de trabalho híbrido já existia e era aplicado em algumas empresas, mas teve sua adesão intensificada, e muito, pela pandemia do covid-19. 

Com o isolamento social forçado, as empresas precisaram se adequar às medidas de contenção do vírus e o home office se tornou a única opção viável no momento. 

O post de hoje é sobre como você gestor que está pensando em migrar a cultura da sua empresa de presencial para híbrido, pode se adequar mais facilmente às novas possibilidades. 

Confira!


O que é a Cultura do Trabalho Híbrido

Trata-se da jornada de trabalho sendo intercalada, parte na empresa, parte em home office. E como dissemos, essa cultura não é uma novidade, ela já existia antes. O que se viu em 2020 e 2021 foi uma grande adaptação das empresas a esse estilo de jornada de trabalho. 

Nesse contexto, é possível se espelhar em empresas em que o colaborador já inicia o trabalho de maneira híbrida para ter exemplos de como conduzir a transição. 

Ainda existem as empresas que contratam colaboradores para trabalhar 100% home office. Muitas delas até já estabeleceram procedimentos que possam ajudar o colaborador a ter um bom desempenho trabalhando em casa, como vamos ver a seguir. 


Atenção antes de adotar o modelo de trabalho híbrido

Se você, gestor, está pensando em levar a sua empresa a esse passo a mais, é preciso ficar atento a alguns pontos que separamos a seguir: 


O colaborador em primeiro lugar

Esse é, com certeza, o primeiro ponto que você deve considerar quando decidir tornar a jornada de trabalho da sua empresa em híbrida. Lembre-se que o colaborador não estará o tempo inteiro na empresa, por isso a atenção deve se intensificar. 

Estar preocupado se todos os colaboradores têm boas condições para trabalhar em casa, como uma internet adequada e um espaço de trabalho confortável é essencial. Muitas empresas hoje oferecem um auxílio para que o colaborador tenha um recurso a mais para se estabelecer e conseguir trabalhar bem, mesmo de casa. 

Outras ainda oferecem um kit, geralmente um de boas vindas quando o colaborador inicia a sua jornada na empresa, com alguns itens que julga importantes, como uma agenda e fones de ouvido. 

Seja como for, pensar no colaborador é de extrema importância para que tudo funcione conforme o esperado. Por isso, sempre cheque se as expectativas estão sendo alcançadas e como ele está se sentindo com a nova cultura. 

E isso deve ser feito em todos os casos de trabalho híbrido, mas principalmente quando a empresa está migrando do trabalho presencial para esta nova modalidade. Isso porque a adaptação pode ser um pouco complicada por já ter tido uma cultura de trabalho estabelecida anteriormente. 

Verifique como está sendo a mudança, e se há maneiras de facilitar o processo. A maneira mais fácil de fazer isso é questionando diretamente para o colaborador! 


Retenção de talentos

Esse item está diretamente ligado ao anterior. Quando você prioriza o colaborador, a satisfação do mesmo em relação à empresa e às suas funções irá aumentar. E as chances de ele desejar ficar na empresa para construir uma carreira são grandes. 

Além disso, é preciso considerar a realidade de muitas pessoas que precisam passar por vários transportes até conseguir chegar à empresa. O tempo perdido por dia pode se estender por horas, deixando o colaborador cansado e muitas vezes desmotivado. 

Com a possibilidade do trabalho híbrido, o tempo de deslocamento é nulo e o que antes precisava ser uma viagem cansativa todos os dias, pode ser reduzido a poucas vezes por mês. 

Entre os inúmeros benefícios, a disposição e o desempenho do colaborador tendem a aumentar quando não há necessidade de acordar horas mais cedo ou estresse ao trocar de transporte. 

Quanto mais os colaboradores se sentirem engajados, maiores são as chances de retenção de talentos. 


Qualificação do time 

Essencial para que a migração do modelo presencial para o híbrido funcione adequadamente, a qualificação dos colaboradores também deve ser uma prioridade. De nada adianta apenas fazer a transição se você não explicar para os colaboradores como cada evento irá acontecer. 

Como marcar o ponto e sinalizar que já começou a trabalhar? Qual meio de comunicação será usado no período de trabalho em casa? Como irão funcionar as reuniões? Como ter acesso aos documentos e informações da empresa sem precisar estar na sede? 

Essas e outras inúmeras perguntas precisam ser esclarecidas para todo o time. Caso contrário, alguns colaboradores podem ficar para trás, e consequentemente se sentindo desmotivados a continuar na empresa. 

De certa forma esse item também está ligado ao primeiro: coloque o colaborador em primeiro lugar. Propicie um ambiente adequado para que a transição aconteça sem grandes problemas. 


Tecnologia integrada

A dica aqui é para você deixar disponível aos colaboradores todas as informações necessárias para que o trabalho ocorra normalmente. Isso pode incluir senhas de acesso, documentos importantes e armazenamento de novos materiais. 

Hoje existem diversos recursos que podem ser analisados e adaptados para a realidade das empresas. É possível, por exemplo, usar um acesso remoto pela nuvem na internet, com acesso disponibilizado a todos os colaboradores. 

Outras plataformas de organização também permitem o compartilhamento de informações importantes. O ERP também é uma opção, pois além de integrar todos os processos em um só lugar, ainda otimiza tempo e automatiza operações repetitivas. 

Diante de tantos recursos, teste até encontrar o que mais se adequa à sua empresa! 


Comunicação 

Em um modelo de trabalho híbrido é preciso entender que você não terá um contato diário presencial com cada colaborador, como acontece hoje. 

Em um novo cenário, a comunicação da empresa precisará ser repensada para que continue atingindo o seu objetivo, mas sem enfrentar os ruídos provocados pela distância física. 

Aqui as possibilidades também são inúmeras. Criar um grupo no WhatsApp, encontrar uma plataforma que permita a comunicação instantânea ou criar um meio de comunicação próprio e interno, são apenas algumas das opções que a empresa pode recorrer.

O ponto aqui é manter a comunicação ágil, assim como seria no presencial. Por isso, alguns recursos como o e-mail, por exemplo, podem acabar se tornando um empecilho, principalmente provocado pelo tempo de espera entre uma mensagem e outra. 

Para descobrir qual meio de comunicação se encaixa melhor na sua empresa, pense na realidade dos seus colaboradores. Por exemplo, eles são mais jovens? Preferem um meio menos pessoal do que conversas no WhatsApp? Ou ainda, é necessário criar diferentes grupos dentro do aplicativo? Cada um fala de forma individual com o colega?

Seja como for, estabeleça um padrão para a comunicação e informe a todos sobre a forma escolhida. Se precisar educar o time, recorra a treinamentos para toda a equipe. 

Além disso, é de suma importância que você crie uma conexão com os colaboradores. Abra um canal em que eles possam se sentir confortáveis para relatar como está sendo o processo de migração. Cada pessoa é individual e pode se adaptar com mais ou menos facilidade. Por isso, lembre-se de não generalizar, encare todos e questione o necessário. 

Em resumo, se você está pensando em migrar para o trabalho híbrido, a principal dica é que você coloque o colaborador em primeiro lugar sempre, para qualquer situação!


E então, gostou do conteúdo? Em nosso blog você encontra muito mais sobre gestão e soluções empresariais, acesse! 

Deixe um comentario