pt Portuguese

Blog Solution

Servidor Local ou em Nuvem?

- 6 min leitura

Optar pelo servidor local ou em nuvem? Essa é uma dúvida que muitas empresas podem ter, principalmente por não saberem o que significa, efetivamente, ter um ou outro. 

Neste blog post nós vamos te contar um pouco mais sobre cada um, além de compartilhar qual é o mais vantajoso em termos de economia!


Servidor Local

O servidor local, como o próprio nome já indica, é um dispositivo, geralmente um computador, que é instalado fisicamente nas dependências da empresa, atendendo, assim, às requisições de um cliente na rede local.

Para que tenha um bom funcionamento, o servidor local fica localizado em uma sala especial para ele, sendo bem climatizada e protegida. Essa demanda atende aos requisitos dos equipamentos que precisam ser resfriados para se manterem em plena atividade.

A infraestrutura in loco é necessária para a empresa. Ter uma equipe qualificada, internet e sistema de backup, por exemplo, pode salvar a empresa em momentos em que um servidor para de funcionar ou quando a internet cai. 

Nesses casos, é importante ressaltar que a empresa é a responsável por adquirir os equipamentos do servidor local, bem como cuidar da sua manutenção e atualização sempre que necessário. 

Assim, além do espaço físico, uma equipe especializada é fundamental para garantir, também, o bom funcionamento do servidor. 

Separamos algumas das vantagens do servidor local:


Segurança

Esse é o primeiro ponto que se pensa quando falamos em um servidor local. De maneira lógica, como o servidor está dentro das dependências da empresa, você tem os dados seguros e em seu campo de visão. 

Além disso, você ainda tem maior controle dos dados, pois sabe exatamente quem tem acesso ao servidor. 


Rapidez 

Essa rapidez é, principalmente, em relação à resposta a falhas. Elas vão acontecer, em algum momento, e por diferentes motivos. Ter um servidor local é uma vantagem para a empresa quando isso acontecer, pois é mais rápido acionar a equipe interna. 

Em outros servidores seria necessário entrar em contato com o fornecedor para informar a falha e solicitar a manutenção. 

Outro ponto que envolve a rapidez do servidor é que ele consegue estabelecer conexões mais rápidas com o banco de dados da empresa, devido à sua proximidade. 


Independência 

A dependência da conexão com a internet está cada vez mais presente nas rotinas empresariais. Por isso, uma grande vantagem do servidor local é que ele não depende de internet. 

Assim, se a empresa ficar sem internet, ou se a mesma apresentar falhas e lentidão, o servidor não será afetado com problemas na eficiência ou queda na produtividade. 


Backups

O servidor local permite que a empresa faça backups mais rapidamente, garantindo que os dados e informações estejam salvos nas dependências da empresa. 

Depois de conhecer as vantagens do servidor local, chegou o momento de falarmos sobre o servidor em nuvem!


Servidor em Nuvem

A premissa básica do servidor em nuvem é que, diferente do local, os dados não ficam armazenados nas dependências físicas da empresa. Eles ficam em um servidor remoto, sendo criado e mantido por um fornecedor externo. 

Dessa forma, dados e informações apenas podem ser acessados por meio de internet, eliminando a necessidade da infraestrutura. Em consequência disso, questões como backup e segurança ficam sob responsabilidade do fornecedor. 

Confira 5 vantagens do servidor em nuvem:


Escalabilidade 

O servidor em nuvem permite aumentar a quantidade de servidores virtuais de acordo com a demanda, sem que você precise se preocupar com hardware, ou seja, a parte física de um computador. 

Quando analisamos o ponto de escalabilidade, em ambientes físicos você fica limitado ao servidor local. De maneira lógica, nesses casos se faz necessário um alto nível de investimentos para expandir a sua capacidade.


Demanda 

Na nuvem também é possível criar ambientes novos, subindo um sistema inteiro em minutos. Em comparação com um servidor físico, que demora algumas horas até atualizar, o tempo de criação é muito mais rápido. 

Além disso, para instalar esse mesmo sistema em um servidor local é preciso que as configurações do hardware sejam compatíveis, o que pode tornar todo o processo mais demorado e burocrático. 


Performance 

Como não terá um servidor físico, o sistema será mais leve e ágil, melhorando o desempenho dos programas. É claro que isso também vai depender da empresa contratada, como em qualquer situação. 


Segurança 

Com uma maior vulnerabilidade a ataques hackers, a estrutura local fica em desvantagem quando comparada à segurança que a cloud pode oferecer. 

Dessa forma, em um servidor em nuvem há outros recursos que devem ser observados e colocados em prática para garantir a segurança daquelas informações. Uma cópia de segurança, ou backup, é um exemplo do que pode ser feito. 


Alta disponibilidade 

Por fim, a última vantagem, mas não menos importante, é a alta disponibilidade. A estrutura em nuvem é um conglomerado de hardware (memória, processador e HD) unificado que pode ser dividido para criar servidores virtuais que irão hospedar os diversos aplicativos do dia a dia de uma empresa. 

Na estrutura em cloud, se um servidor virtual for danificado por qualquer motivo, outra máquina virtual subirá imediatamente para substituir a máquina danificada, e isso ocorre tão rapidamente que o cliente não sente a mudança.

Também é importante lembrar que existem inúmeros servidores em nuvem disponíveis no mercado. Se você optar por um do exterior, acabará enfrentando a questão da cotação da moeda, que varia de tempos em tempos, mas que invariavelmente representa uma parcela significativa do valor.  


As diferenças entre um e outro

O que muda entre eles, basicamente, é a forma de armazenamento. Enquanto um estará fisicamente dentro da empresa, o outro terá o seu acesso todo na nuvem, utilizando a internet para isso. 

Assim, Gustavo Viude, o CEO da MDS Cloud Solutions, umas das principais referências quando falamos em cloud, esclarece:

“Na nuvem, o sistema pode ser acessado em qualquer lugar. É como se uma empresa tivesse dois servidores ou mais filiais e em caso de uma queda de energia na matriz, o servidor de uma das filiais atua mantendo o sistema ativo.

Isso acontece porque as nossas nuvens estão hospedadas em um lugar à prova de queda de energia, com estabilidade e segurança contra o ataque de hackers, garantindo, assim, que sua empresa opere ininterruptamente, evitando prejuízos por sistema inoperante”.


Qual é mais econômico?

Manter um servidor local ativo requer um alto investimento com licenças de acesso, sistemas operacionais, dentre outros custos de manutenção da máquina física. Ao investir em uma nuvem, os custos são menores, tendo um melhor custo-benefício, a longo prazo.

Segundo Viude, “ao adquirir um serviço em nuvem, a empresa contrata não só o espaço em um servidor virtual com sistemas operacionais licenciados, como também uma equipe altamente capacitada para administrar e dar suporte no dia a dia”. 

Sobre os profissionais, o CEO da MDS Cloud afirma serem “especializados em servidores, storages, firewalls, backup e DBAs para zelar pelo banco de dados”. Além disso, “esses profissionais ficam à disposição do contratante 24 horas por dia, sete dias por semana, sem qualquer taxa ou custo adicional”.

Para fazermos, efetivamente, um cálculo sobre a economia exercida é preciso entender a particularidade de cada empresa, contabilizando o custo de operação, como hardware, software, energia elétrica, custo da mão de obra para manter o seu funcionamento, impostos, contratos com empresas de manutenção etc. 

Em uma comparação, na nuvem, você não paga por atualização de hardware ou mão de obra especializada. E ainda, ao invés de pagar imposto, você pode deduzir o serviço no IR da empresa, além de eliminar o gasto com licenças que não estão sendo utilizadas, aumentando o ROI proporcionado por esse tipo de investimento. 

Assim, contabilizando todas essas vantagens apresentadas, o contrato de nuvem ao longo do tempo tende a ser mais barato do que manter uma máquina física, até porque as máquinas locais têm vida útil limitada, sendo necessário realizar a sua substituição de tempos em tempos.

Elaboramos uma planilha financeira para exemplificar, na prática, como essa economia acontece. Aqui pensamos em nuvem X uma estrutura local, por isso calculamos gastos e contabilizamos outras despesas que se apresentam tanto para uma quanto para a outra.

É importante ressaltar que os dados dessa planilha são apenas uma simulação, pois os valores elucidados podem ser alterados por diversos aspectos de mercado, como cotação do dólar, quantidade de hardware e número de usuários. 

Para a sua elaboração, consideramos uma empresa de porte médio, com 60 usuários. Além disso, os valores estabelecidos são a nível nacional. Assim, chegamos aos resultados:

Elaboração: Solution Sistema e Gestão

É possível perceber a diferença de gastos em 5 anos, não é?

É claro que os valores vão variar de acordo com a quantidade de usuários, mas a planilha nos fornece uma base importante para compreendermos a economia, quase palpável, ao optar por uma ao invés da outra. 

No momento de decisão, é importante considerar o prós e contras de cada uma delas. É preciso saber o que o seu negócio precisa neste momento, para entender qual opção é a mais adequada para a sua realidade. 

Deixe um comentario