O poder dos Quick Wins no atendimento ao cliente

Tempo de leitura: 4 minutos

O cliente é a pessoa mais importante de todo o processo da sua empresa, não é? 

Se você quer que ele fique ainda mais satisfeito com o seu produto ou serviço, chegou o momento de implementar o quick win!

Esse é o conceito que vai deixar a sua empresa um passo à frente da concorrência. 

Quer saber como? Confira este post especial que preparamos!


O que é Quick Win 

Como o próprio nome já dá a entender, pois do inglês, quick win pode ser traduzido como vitórias rápidas, trata-se de pequenas mudanças fáceis e não muito complexas que podem ser feitas para trazer retorno positivo para a empresa. 

Essas mudanças podem ser efetuadas em qualquer tipo de processo para solucionar possíveis problemas, melhorar o que é entregue e tornar o atendimento mais eficiente. 

Independente do setor em que seja aplicado, o que importa é que a empresa que optar por desenvolver essas mudanças terá lucro tanto a curto, quanto a longo prazo. 

Um fato interessante é que o quick win se assemelha com um tipo de mentalidade chamado growth hacking.

Basicamente, diz respeito a constante tentativa de melhoramento de desempenho e processos, pensando sempre em evoluir. 

Nesse caso, os chamados growth hackers ficam focados em encontrar falhas, mesmo que elas pareçam pequenas, para poder solucionarem e ganharem qualidade, tempo e até lucro. 

Mas, voltando ao quick win, o seu conceito é sobre acelerar os processos internos visando obter o melhoramento do sistema, por meio de mudanças pequenas e pontuais. 

As empresas que escolhem desenvolver essa questão têm como objetivo gerar um retorno lucrativo em pouco tempo e sem envolver altos custos e riscos. 

Se você se interessou por esse conceito e está começando a considerar implementar na sua empresa, continue neste post porque aqui na Solution, o nosso objetivo é dar dicas e falar sobre conceitos que vão melhorar a sua gestão!


Mas e na prática, funciona mesmo?

Antes de tomar a decisão de implementar qualquer sistema ou mudança na sua empresa, sempre é preciso considerar se elas serão eficientes ou realmente valem a pena. 

Pensando nisso, viemos responder uma das principais perguntas que podem surgir sobre esse assunto: 

– Na prática, o quick win funciona mesmo?

E a resposta é sim, esse é um procedimento que pode sim funcionar, mas desde que seja aplicado com empenho e com mudanças reais e pequenas. 

De nada adianta inventar ideias mirabolantes como, por exemplo, excluir um setor inteiro da empresa por achar que ele não é mais necessário. 

Primeiro que não cabe ao pessoal que está desenvolvendo o quick win pensar e decidir esse tipo de coisa. 

É claro que, se surgir algum insight sobre algo, é interessante compartilhar com os demais colegas e gestores, mas não tomar a decisão propriamente dita. 

Além disso, quem aplica o quick win precisa pensar em soluções rápidas e que sejam viáveis de testar e desenvolver. 

Assim, caso se perceba que aquele, na verdade, não é um bom caminho, você pode dar um passo atrás e reconsiderar a origem do problema. 

Então, se decidir por implementar o quick win, escolha uma pessoa ou uma equipe que tenha a liberdade de explorar o setor, mas que esteja comprometida em trazer resultado a partir de pequenas ações. 

Inclusive, analisando quem pode desenvolver esse processo no ambiente interno da empresa, é possível criar diferentes equipes voltadas ao quick win. 

De preferência, que estes times sejam de diferentes setores do negócio, pois cada um deles têm as suas particularidades e podem enfrentar problemas diferentes. 

Você também pode pensar em ter uma equipe que olhe para o todo da empresa e encontre as falhas que sejam mais gerais. 

Se vamos exemplificar, esse seria o caso de encontrar, por exemplo, o que está fazendo com que o seu produto chegue com atraso até o cliente. 

No entanto, o ideal para o quick win é que ele seja desenvolvido focado em pequenas soluções, principalmente individuais a cada setor! 


Quais empresas podem aplicar o quick win?

Então, essa também é uma pergunta bastante inerente ao assunto. 

A verdade é que qualquer empresa pode aplicar e desenvolver o conceito internamente. Afinal, ele é amplo para abrigar qualquer tipo de negócio. 

A única diferença que se terá é que uma empresa de pequeno porte pode ter menos processos do que uma de grande porte. 

Mas isso não é empecilho para implementar o quick win. É só adaptar o conceito à sua realidade, sempre buscando identificar as falhas de cada setor! 


O quick win diretamente aplicado no setor de atendimento ao cliente 

Como deixamos claro, o quick win pode, sim, ser implementado em qualquer área da empresa, inclusive no atendimento ao cliente! 

Nós sabemos que o sucesso de qualquer venda depende de inúmeras questões, mas se o atendimento não for eficiente ou agradável, o cliente pode desistir imediatamente. 

O atendimento ao cliente envolve diversos processos, portanto, é preciso observar diretamente na sua empresa o que pode ser melhorado. 

Lembre-se que o atendimento precisa ser humanizado e empático, afinal, o seu cliente tem um problema que precisa ser solucionado. 

Ele busca alguém que entenda o seu problema e o resolva de forma eficiente e o mais rápido possível. 

Então, talvez a vitória rápida seja encontrar um treinamento para que quem desenvolve o atendimento consiga ter mais empatia com a pessoa que está do outro lado. 

Ou talvez, mudar o meio de comunicação com o cliente possa ser eficiente, adaptando para a realidade do seu público-alvo. 

Por exemplo, se são pessoas mais maduras, acima de 50 anos, elas podem preferir ter um contato mais pessoal e presencial. 

Já se o seu público for jovem, podem preferir a rapidez da troca de mensagens. 

Sim, são muitas as possibilidades, tantas que seria impossível listá-las aqui. Cada empresa tem as suas particularidades e cada setor tem algo que pode ser melhorado. 

Seja como for, busque aplicar o quick win para melhorar internamente o atendimento e ter um retorno direto do seu cliente, a pessoa mais importante de todo esse processo. 

E é sempre bom lembrar que um cliente satisfeito pode se tornar um grande advogado da marca, espalhando para os conhecidos os benefícios de adquirir os produtos ou serviços da sua empresa. 

Em um mercado de ampla concorrência, nada melhor do que sair ganhando dos demais ao se destacar com um atendimento de qualidade. 

E então, decidiu aplicar o quick win? Desejamos boa sorte na implementação. Que seja sempre visando melhorias eficientes para o seu negócio!

Continue aqui em nosso blog, nós sempre trazemos assuntos atuais e inovadores para você ficar por dentro de tudo o que interessa.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *